O Concurso de Ideias “Empreender no Alto Tâmega” está de volta. A fase para apresentação de candidaturas iniciou no passado dia 17 de maio e terminará no dia 30 de junho. A explicar a iniciativa, esta que é já a 3ª edição, temos Ramiro Gonçalves – Primeiro Secretário Executivo da Comunidade Intermunicipal do Alto Tâmega.

As edições anteriores (2018 e 2019) do Concurso de Ideias “Empreender no Alto Tâmega” foram um sucesso e prova disso é o lançamento da 3ª edição, promovida pela Comunidade Intermunicipal do Alto Tâmega (CIMAT), em parceria com a EHATB – Empreendimentos Hidroelétricos do Alto Tâmega e Barroso.

A situação pandémica, que marcou o ano de 2020, impossibilitou a realização do Concurso de Ideias nesse ano, mas tendo em conta a importância que esta iniciativa tem na criação de dinâmicas empreendedoras no Alto Tâmega, considerou-se importante retomá-la logo quanto possível.

Ramiro Gonçalves, considera que esta iniciativa “visa sobretudo, capacitar pessoas, ou seja, tentar que elas façam o percurso que nem sempre é fácil, que é: tenho uma ideia e agora que faço com ela? Ou seja, de que forma é que poderei ser ajudado para que essa ideia seja transformada num plano de negócio primeiro e, depois, ser consubstanciada com um projeto de negócio e que permita a que essa pessoa ou conjunto de pessoas possam ter uma atividade económica dentro do Alto Tâmega.”

Podem candidatar-se cidadãos com 12ª ano ou mais, de forma individual ou em grupo, em qualquer situação profissional, que pretendam explorar uma ideia de negócio no Alto Tâmega, sendo que “gostávamos que as pessoas pudessem concorrer com 18 ou mais anos, sobretudo para de alguma forma termos depois a possibilidade de esses negócios poderem ser consubstanciados através de circunstâncias empresariais.”

O primeiro secretário executivo da CIMAT realça ainda que as ideias de negócio podem incidir sobre “qualquer setor no território, embora nós não escondamos que o território tem uma estratégia. É um território de água e bem-estar e, portanto, há setores que nós gostaríamos de trabalhar com maior pertinência que outros. E nesse sentido iremos, de alguma forma, avaliar de uma forma mais positiva, todos os projetos de ideias que surjam em setores do turismo, agroalimentar e florestal, porque são três ativos muito relevantes para o território”.

O concurso tem 2 fases. Uma primeira fase que decorre até 30 de junho, onde os cidadãos que entenderem podem descrever a sua ideia de uma forma minimalista, usando o formulário para o efeito presente na página da CIMAT, sendo que depois um júri irá fazer uma seleção das 20 melhores ideias com potencial de se poder transformar em projetos de negócio.

E uma segunda fase onde “vamos pegar nas 20 melhores ideias e nos seus promotores e vamos-lhes oferecer uma capacitação que vai decorrer entre setembro e final de novembro. Nessa capacitação vão estar com uma equipa de consultores, vão trabalhar connosco num regime semanal, fora dos horários clássicos de trabalho, portanto será ao fim do dia ou ao sábado e vamos poder ajudar essas pessoas a desenhar um projeto de negócio baseado na ideia que têm de negócio”.

O trabalho desenvolvido na segunda fase será avaliado pela equipa de consultores “e no final de novembro gostaríamos de poder voltar a identificar os três mais da região. Três mais esses que serão convidados a poder ser ajudados no futuro, de diferentes formas, inclusivamente através de incubação aqui nas nossas instalações da CIMAT, para que depois se consiga, como é obvio, ajudar os projetos a poderem consubstanciar-se em iniciativas que permitam gerar emprego para os próprios ou para outros e que permitam gerar mais economia que é esse o grande objetivo da região”, rematou Ramiro Gonçalves.

Os interessados em saber mais sobre este concurso poderão consultar toda a informação disponível em https://cimat.pt/3a-edicao-do-concurso-de-ideias-empreender-no-alto-tamega/