O Concurso de Ideias Empreender no Alto Tâmega vai já na terceira edição e surge agora com uma componente que pode fazer toda a diferença: o Programa de Concretização. Este programa surge como forma de ajudar os vencedores desta edição, de uma forma mais incisiva, a “arrancarem” com os negócios.

O Programa de Concretização tem a duração de 3 meses e o plano de trabalhos, onde estão incluídas as metas a alcançar, são definidas em conjunto com os promotores e com a equipa técnica.

Este Concurso de Ideias é uma iniciativa da Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Tâmega, que teve início no ano de 2018 (1ª edição), integrada no projeto Programa de atração e fixação de empreendedores no Alto Tâmega (SAAC: Empreendedorismo), tendo como objetivo promover ativamente a conceção e implementação com sucesso de iniciativas empreendedoras, que contribuam para desenvolvimento desta sub-região.

A 2.ª Edição aconteceu em 2019, mantendo o formato da primeira, que consiste na divisão do concurso em três fases, sendo a primeira a apresentação de ideias, a segunda o programa de capacitação dos empreendedores e, a terceira, a avaliação dos dossiês de negócio, culminando na entrega de prémios na Gala do Empreendedorismo do Alto Tâmega.

A 3.ª Edição, prevista para 2020, mas realizada em 2021 devido à pandemia, trouxe novidades no seu formato, nomeadamente a parceria com a EHATB – Empreendimento Hidroelétrico do Alto Tâmega e Barroso e a realização do Programa de Concretização, que irá apoiar os cinco projetos selecionados, na implementação das iniciativas empresarias.

Ramiro Gonçalves, 1º Secretário Executivo da CIMAT, sublinha que a importância deste projeto vai muito além dos novos negócios que surgem, “o mais importante é a dinâmica de empreendedorismo que cria no território”, bem como a transversalidade de públicos que atinge: “temos jovens e menos jovens, pessoas desempregadas e pessoas bem-sucedidas, mas com alguma ideia de negócio nova, pessoas que procuram uma oportunidade outras que querem mudar de vida”, exemplifica.

Carla Branco, diretora da empresa consultora (Partnia), acredita que esta nova etapa, da concretização, é de uma ajuda fundamental para os empreendedores. “Nós fazemos o caminho com eles, a todos os níveis, nos licenciamentos, nas reuniões, na criação de parcerias, nas questões jurídicas e burocráticas, não os levamos ao colo, mas, como disse, caminhamos com eles de braço dado”, remata.