Decorreram na passada quarta-feira, dia 11 de maio, as últimas duas sessões de Apresentação do Plano Estratégico de Turismo do Alto Tâmega, em Valpaços e em Chaves, no âmbito do projeto “Turismo 4.0”.

Para apresentar o Plano esteve presente o Primeiro Secretário Executivo da CIMAT, Ramiro Gonçalves e as representantes da PENHAS – Consultoria e Eventos.  Valpaços fez-se representar pelo Vice-presidente da Câmara, Jorge Pires e Chaves pelo Vice-presidente, Francisco Melo.

O documento já vem sendo atualizado desde 2019 e tem por objetivo reforçar a capacidade empresarial dos operadores turísticos da região para o desenvolvimento de novos produtos, serviços e processos, dando coerência e consistência à estratégia turística definida para a região e que tem norteado o trabalho dos seis municípios nos últimos anos.

Ramiro Gonçalves terminou as sessões de apresentação agradecendo a todos os operadores turísticos que se mobilizaram para conhecer a estratégia de turismo para a região e o plano que define “onde estamos, para onde queremos ir e de que forma o fazer”.

Estas sessões foram também muito importantes para recolher informações e ideias dos empresários locais e realçar a importância do trabalho em rede.

“O turismo é uma atividade que vale hoje 50 milhões de euros no território. Queremos atrair mais pessoas que valorizem a nossa identidade e qualidade e que, ao mesmo tempo, os operadores privados percebam que têm que trabalhar nessa qualidade”, acrescentou.

 

 

Concluído o road show de apresentação do Plano Estratégico de Turismo do Alto Tâmega, seguem-se os workshops de capacitação, com previsão de início ainda durante o presente mês de maio, dirigidos ao setor privado da restauração, alojamento e animação turística, que irão percorrer os seis municípios e darão destaque aos produtos turísticos mais importantes em cada um desses concelhos.

De realçar que o projeto Alto Tâmega – Turismo 4.0 (NORTE-02-0853-FEDER-037651) é uma iniciativa conjunta da Comunidade Intermunicipal do Alto Tâmega (CIMAT), do Centro de Valorização e Transferência de Tecnologia da Água (AquaValor) e da Associação Empresarial do Corgo (AECorgo).

 

 

 

Cofinanciado por:

barra de apoios feder