Durante três dias – 9, 10 e 11 de novembro – alguns elementos das Brigadas de Sapadores Florestais da Comunidade Intermunicipal do Alto Tâmega e Barroso (CIMAT) estiveram em todos os Agrupamentos Escolares da Região, bem como no Posto de Turismo do Alto Tâmega e Barroso, a assar castanhas de forma a celebrar o S. Martinho junto da comunidade.

A Castanha apresenta-se como um dos produtos endógenos mais relevantes no território do Alto Tâmega e Barroso, contando com mais de 11 mil hectares, dos quais dois mil certificados no Modo de Produção Biológico. Existem em todo o país quatro Denominações de Origem Protegida (DOP) no que a este fruto diz respeito, sendo duas delas pertencentes a esta Bio-Região: DOP Castanha da Padrela e DOP Castanha da Terra Fria.

Para a realização desta iniciativa foi servida a castanha DOP da Padrela, assada no local em carrinhos alusivos à época. É na Serra da Padrela que se situa um dos principais centros de produção de castanha de Portugal, onde se pode encontrar a maior mancha contínua de castanheiros de toda a Península Ibérica e a maior mancha de castanha judia da Europa.

Para além de se assinalar esta época festiva e aproveitar o momento para sensibilizar e informar sobre este produto endógeno que tem um peso bastante relevante na balança financeira da Bio-Região, esta iniciativa serviu também para colocar a comunidade em contacto direto com os Sapadores Florestais – “protetores da floresta” – uma vez que estes têm um papel muito importante na prevenção dos incêndios florestais que poderiam, também, colocar em risco a extensa área de soutos do território.