As instalações do AquaValor – Centro de Valorização e Transferência de Tecnologia da Água foram oficialmente inauguradas, ontem, dia 28 de abril. A cerimónia contou com a presença de Ana Abrunhosa, ministra da Coesão Territorial, Manuel Heitor, ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Isabel Ferreira, secretária de Estado da Valorização do Interior e Coesão Territorial e do Professor Sobrinho TeixeiraSecretário de Estado da Ciência e do Ensino Superior. 

Tendo recebido, em março, o título de Laboratório Colaborativo (CoLAB) especializado na área temática da água, atribuído pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT), o AquaValor foi agora desafiado pelos ministros da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior e da Coesão Territorial a criar uma escola da água e uma incubadora de empresas, no Alto Tâmega. 

Este desafio surgiu durante a inauguração oficial do AquaValor que, segundo destacou o ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, a criação desta infraestrutura já “foi um passo importantíssimo e agora tem de continuar a crescer. Crescer na área do próprio laboratório com mais certificação e investigação e cada vez mais juntar-se às atividades de educação. Porque não desenvolver aqui, no futuro, uma escola da água, uma ‘aquaschool” e, de seguida avançar para a criação de “um centro de incubação de empresas” de forma a “captar mais atividade empresarial”. 

O AquaValor, conta já com uma equipa de 14 investigadores, tendo a maioria deles título de doutorado, tem como agenda de investigação e inovação o foco em seis áreas: Tecnologias da Informação e Comunicação; Saúde – Hidrogenoma da água mineral natural; Saúde – Bioensaios e bioatividades da água mineral natural; Cosmética; Alimentos e bebidas e Turismo. 

Manuel Heitor acrescentou ainda que a ciência mostrou que consegue atrair pessoas para as regiões. Hoje temos uma equipa que não estava em Chaves, estava nas mais diversas regiões de Portugal e da Europa, mas que agora está no Alto Tâmega”. 

Também a ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa concordou com Manuel Heitor e considera que foi dado “o primeiro passo, a inauguração do Laboratório Colaborativo. Mas queremos que este conhecimento dê origem a novos produtos e serviços, daí a importância da incubadora para desenvolver planos de negócios”. 

Para Ana Abrunhosa, este projeto “desconstrói a ideia de que o interior é só agricultura e floresta” e que também “pode ser investigação de ponta desde que haja condições”. 

O presidente do AquaValor, Fernando Queiroga, sublinhou a união dos seis autarcas do Alto Tâmega na aposta num “projeto fundamental para o território” como “um exemplo para o país”. 

ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior também revelou que Chaves irá receberentre 18 e 19 de junhouma “grande conferência” sobre a valorização da água na Europa, no âmbito da presidência portuguesa do Conselho da União Europeia e assumiu querer fazer do AquaValor um “grande projeto europeu”, daí a importância da conferência de junho. 

Também presentes na inauguração, entre outros, estiveram os Diretores Executivos do AquaValor, Ramiro Gonçalves (em representação da CIMAT) e Maria José Alves (em representação do IPB), o presidente da Câmara de Chaves, Nuno Vaz, o presidente da Direção do AquaValor, Fernando Queiroga, o presidente do Instituto Politécnico de Bragança, Orlando Rodrigues, bem como os representantes dos restantes municípios do Alto Tâmega. 

De recordar que o AquaValor foi fundado em 2018 sob uma ampla plataforma colaborativa que abrange instituições dos mais diversos quadrantes, com um total de 26 associados, como organizações e empresas da região, nacionais e internacionais, e tem atualmente uma carteira de projetos que representa “um valor angariado superior a quatro milhões de euros, e aguarda ainda resposta a três outras candidaturas”.