A realização de testes de despiste, aos funcionários dos Lares do Alto Tâmega, teve início, na passada quinta-feira, dia 23 de abril, em Chaves e Ribeira de Pena, no âmbito do protocolo assinado pela Comunidade Intermunicipal do Alto Tâmega (CIMAT) e pelo Instituto Politécnico de Bragança (IPB), com a coordenação do Agrupamento de Centros de Saúde do Alto Tâmega e Barroso (ACES).

Os primeiros funcionários dos lares, do Alto Tâmega, a serem testados foram os dos municípios de Chaves e Ribeira de Pena, na passada quinta e sexta-feira, 23 e 24 de abril, respetivamente, de onde se somaram, um total de, 87 testes de despiste. Graças a esta medida preventiva foi possível detetar, previamente, um caso positivo de um funcionário de um lar que se preparava para iniciar o seu turno.

Durante esta semana e as semanas seguintes irá proceder-se a uma testagem, em larga escala, também nos restantes lares dos municípios da região, sendo que o objetivo será realizar de 50 a 100 testes por dia, a estes trabalhadores.

Esta medida visa evitar o contágio dentro dos lares de idosos do Alto Tâmega, uma vez que, a característica dos utentes torna-os, especialmente, vulneráveis à COVID-19.

Recorde-se que o boletim epidemiológico diário da Unidade de Saúde Pública do ACES Alto Tâmega e Barroso divulgado durante a tarde desta segunda-feira, dia 27 de abril, a região soma, até ao momento, o total de 31 casos confirmados com COVID-19. Chaves com 18, Valpaços 5, Vila Pouca de Aguiar 3, Ribeira de Pena 4 e Montalegre 1. Boticas é, até então, o único município do Alto Tâmega, sem casos confirmados.