Professor Ramiro

Transformar desafios, como a pandemia provocada pelo COVID-19, em oportunidades para o Turismo na Região do Alto Tâmega foi a principal temática, da 1ª WEBINAR CHAVESON, abordada pelo convidado Ramiro Gonçalves, primeiro Secretário Executivo da Comunidade Intermunicipal do Alto Tâmega.

A Conferência online “Como enfrentar os novos desafios para o Turismo” no Alto Tâmega decorreu esta quinta feira, dia 23 de abril, e foram mais de 60 os que assistiram a esta primeira sessão da WEBINAR CHAVESON.

Nesta sessão que pretendia dialogar com os empresários e cidadãos sobre a situação do setor do turismo, face à pandemia de COVID-19 que atingiu, não só, a região do Alto Tâmega, como também todo o mundo, Ramiro Gonçalves salientou que esta pode ser uma oportunidade para o turismo da região se reinventar.

O mote para o inico da videoconferência foi relembrar as potencialidades da região como os acessos, as aldeias típicas, a gastronomia e produtos endógenos, as atividades desportivas, as artes e os museus, bem como a vasta hotelaria.

O Alto Tâmega já há algum tempo que tem vindo a trabalhar na classificação da região como o território da “Água e Bem-Estar” e esta “será uma excelente oportunidade para atrair turistas” uma vez que, dado todas as medidas de prevenção que a população terá de adotar na fase “pós-confinamento”, a tendência será procurar locais de “baixa densidade populacional” e a região do Alto Tâmega tem “cerca de 3 mil quilómetros quadrados, e pode assumir-se nos próximos meses como um destino privilegiado” já que irão procurar locais com mais espaço e menos constrangimentos.

Segundo Ramiro Gonçalves, a região do Alto Tâmega soma em média 260 mil dormidas por ano, que representa 2,4% da região norte, sendo este “um número que pode ser melhorado”, se todos os stakeholders relacionados com o turismo, agirem “de forma rápida, tiverem capacidade para se reinventar” e dotarem os seus estabelecimentos e produtos de “segurança e certificações” pois só assim se “ganha a confiança dos que nos visitam”.

O primeiro secretário executivo da CIMAT acredita que esta pandemia veio fazer “um ‘reset’ a nível nacional e internacional, quem conseguir identificar oportunidades e novos desejos por parte dos turistas vai ter condições de poder recuperar algum terreno perdido” e não devem esquecer que “em um mês, a civilização tal como a conhecíamos, já avançou mais de dez anos”, dando como exemplo o caso da mobilização em massa ao teletrabalho, o ensino online ou a forte adesão às compras online. “Esta pandemia veio colocar todo o setor do turismo de volta à linha de partida, não importa quem ia à frente na corrida. Quem tiver a capacidade de se reinventar mais rapidamente, ganha”, acrescentou.

Recorde-se de que ciclo semanal de WEBINAR’s, teve início esta quinta feira e irá decorrer até 14 de maio. Uma WEBINAR é uma conferência online com objetivo educacional e/ou comercial e, neste caso específico, pretende dialogar com os empresários e cidadãos sobre a situação do setor do turismo, face à pandemia de COVID-19 que atingiu, não só, a região do Alto Tâmega, como também todo o mundo.

No seu conjunto serão um total de 4 sessões, cada uma com sua temática e contará com a participação de um convidado, a quem os participantes inscritos poderão colocar questões que entendam pertinentes.

As sessões são gratuitas, mas com limite de inscrições. Os interessados deverão inscrever-se, semanalmente, nas videoconferências, através do link disponibilizado nas páginas do Município de Chaves, tendo posterior acesso às credenciais para participar via plataforma Zoom.

Cronograma das sessões:

30 de abril | 15h00
Medidas de apoio nacionais e locais aos empresários, hotelaria e restauração
Vítor Pimentel, Presidente da ACISAT

07 de maio | 15h00
O turismo e a nova normalidade
Luís Pedro Martins, Presidente da Turismo do Porto e Norte de Portugal

14 de maio | 15h00
Como projetar a imagem de destino seguro
Jorge Costa, Presidente do IPDT – Turismo e Consultoria

 

 

Notícia da RTP:  Ciclo de videoconferência quer `reinventar` o turismo no Alto Tâmega