Orlando Alves

A Comunidade Intermunicipal do Alto Tâmega (CIMAT) é uma unidade orgânica resultante do agrupamento dos municípios que a compõem (Boticas, Chaves, Montalegre, Ribeira de Pena, Valpaços e Vila Pouca de Aguiar).

Dotada de competências organizativas específicas e de um qualificado quadro técnico é, em termos de funcionalidade e articulação, o espaço privilegiado de conceção das políticas de planeamento inerentes ao desenvolvimento da região.

A CIM Alto Tâmega, assim vulgarmente designada, tem, desde a sua fundação, desenvolvido um muito meritório e reconhecido trabalho. Disso é testemunho a elaboração do Pacto Territorial em que se acomodam os projetos integrados no quadro comunitário vigente (Norte 2020) e que no cômputo geral canalizam para a região cinquenta e sete milhões de euros.

A ela estão igualmente acometidas responsabilidades nos domínios da projeção do território, promoção do empreendedorismo, valorização dos produtos locais e internacionalização da fileira dos produtos DOP e IGP em que a região é próspera.

A menina dos olhos de ouro, porém, é a aposta na formação e capacitação de pessoas e agentes económicos plasmada nos protocolos celebrados com o IPB (Instituto Politécnico de Bragança) e que tem como mais nobre consequência deixarmos de ser a única região do país sem qualquer ligação ou presença de uma escola superior.

Para lá dos cursos tutelados por tão prestigiada academia é com o IPB que a CIM Alto Tâmega conta para a implementação e credibilização dos projetos AQUAVALOR e AGROVALOR que, depois de consolidados, conferirão à região uma nova e prestigiada imagem de marca.

Em todas estas importantes conquistas está o empenho e brio profissional do qualificadíssimo grupo de trabalho ali em funções, a competência técnica e dedicação do seu primeiro secretário, Prof. Dr. Ramiro Gonçalves, e a visão estratégica dos autarcas que agrupa.

Deste envolvimento conjunto sairá a elaboração de um Plano Estratégico para o Portugal 2030 em que se deram já os primeiros passos. O objetivo será o mesmo de sempre: fazer da NUT Alto Tâmega o parceiro institucional estratégico entre o Governo da Nação e os Governos locais e, assim, consolidar-se a sub-região do Alto Tâmega.

Construir uma Unidade Territorial centrada na diversidade paisagística, cultural e patrimonial da região; eleger a água como elemento identitário e estruturante ao território nas vertentes do entretenimento, saúde e bem-estar; é criação de riqueza, de atratividade, de desenvolvimento e povoamento do território. É em suma, criar as condições necessárias a que possamos em conjunto dizer: É AQUI que eu gosto de estar.

 

O Presidente do Conselho Intermunicipal da CIM-AT

Manuel Orlando Fernandes Alves

(Presidente da Câmara de Montalegre)